Últimas Notícias

Hoje às 08:34

Chef Erick Jacquin vem a Natal para lançar novos pratos no La Brasserie de La Mer

Até domingo (30), os clientes do La Brasserie terão a companhia do renomado chef francês

O restaurante La Brasserie de La Mer lançará novos pratos nesta quinta-feira (27), com a assinatura e presença do MasterChef Erick Jacquin. Até domingo (30), o chef estará no comando da cozinha durante almoço e jantar para apresentar as novidades aos clientes.

Localizado no Hotel Majestic Natal, em Ponta Negra, o La Brasserie de La Mer mescla a alta gastronomia francesa com toques de ingredientes regionais. Os pratos criados pelo chef primam pelo bom gosto e buscam por um menu diferenciado, com o rigor de produtos 100% naturais. As reservas podem ser feitas através do telefone 3642-7007.

Hoje às 08:31

MPE e MPF ajuízam ação contra Município e empresa que executa enrocamento em Ponta Negra

O Ministério Público Estadual, representado pela Promotora de Justiça Gilka da Mata, e o Ministério Público Federal, pela Procuradora da República Clarisier Azevedo de Moraes, concederam entrevista coletiva à imprensa na manhã de hoje (26), na Procuradoria-Geral de Justiça, para detalhar os motivos pelos quais ajuizaram ação civil publica com pedido de liminar contra o município de Natal e a Empresa Construtora Camillo Collier Ltda relacionada à obra do enrocamento de rochas na praia de Ponta Negra.

A ação foi ajuizada a fim de prevenir e corrigir problemas ambientais consequentes da mà execução da obra de enrocamento da praia de Ponta Negra, mas principalmente para garantir a estabilidade da estrutura até o final do processo de engordamento da praia. “Os pedidos da antecipação de tutela visam garantir que não vamos ter pedras rolando, que o calçadão não vai cair”, esclareceu a Promotora de Justiça Gilka da Mata.

Dentre irregularidades apontadas, a ação ajuizada ontem destaca que a empresa demandada utilizou na obra que visa garantir a sustentação do calçadão, rochas com peso muito inferior ao previsto pelo projeto autorizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb). Este determinava que as rochas da carapaça, região que receberia o maior impacto das ondas do mar, deveria pesar entre  1,3 a 2,3 toneladas.

Em diligência realizada pelo Instituto Estadual de Desenvolvimento Econômico e de Meio Ambiente (Idema), em conjunto com equipe interdisciplinar de peritos e professores da UFRN/Funpec, também presentes na entrevista coletiva, a pesagem real das rochas, que foi realizada por amostragem, com balança de alta precisão, o dianomômetro, demonstrou que a média de peso das amostras foi de 512,2 Kg, bem fora da faixa de peso previsto para carapaça, que era 1.3 a 2,3 toneladas.

Em meio à justificativas técnicas sobre as irregularidades da obra do enrocamento da Praia de Ponta Negra, a Promotora de Justiça Gilka da Mata destacou ainda a dificuldade de diálogo com a Secretaria Municipal de obras Públicas (SEMOPI), que de acordo com a representante ministerial, desde o início do processo, não respondeu a vários questionamentos do MPRN, num momento em que o Órgão buscava o diálogo para solucionar questionamentos e as irregularidades que já eram percebidas. “O MP é um órgão que antes de ajuizar ações busca o diálogo.”, lembrou a representante do MPRN.

De acordo com os pedidos da tutela antecipada ajuizados para apreciação do Judiciário, que se configuram como os mais urgentes, a empresa Construtora Camillo Collier Ltda deverá, até a conclusão do engordamento da praia de Ponta Negra, realizar todas as medidas de manutenção da estrutura, realizando reparos e diligências de manutenção, inclusive, com reposição de rochas caso necessário, garantindo a proteção do calçadão da praia.

O Município por sua vez deverá, de imediato, implementar plano de limpeza e de controle de pragas autorizado pela Secretaria Municipal de Saúde, e com aval dos órgãos ambientais federal, estadual e municipal, a fim de evitar a proliferação de ratos, baratas e outras pragas nas rochas do enrocamento, a partir de métodos que não contaminem a areia da praia e a água do mar, bem como afetem a saúde das pessoas.

A concretização de plano de manutenção do enrocamento também está entre os pedidos de liminar, com encaminhamentos mensais, por parte do Município, de relatórios de vistoria contendo registros fotográficos que demonstrem a integridade da estrutura e com cópia da comunicação à empresa executora da obra, de situações de ameaças ou danos  à estrutura.

A ação ajuizada na Justiça Federal foi registrada sob o n° 0805878-23.2014.4.05.8400 e distribuída para o Juiz titular da 1ª Vara Federal, Magnos Delgado. Relativamente a supostos desvios de recursos federais em decorrência das irregularidades, a Procuradora da República, Clarisier Azevedo de Morais, afirmou que irá remeter cópia de todo o processo para análise do Núcleo de Combate a Corrupção da Justiça Federal. “Vamos encaminhar hoje mesmo a cópia da ação civil pública”, concluiu.

Hoje às 08:28

Procon Natal orienta os consumidores para as compras da Black Friday

Será realizado hojeem todo Brasil, mais uma edição do Black Friday, o dia de promoções em que o comércio varejista oferece uma série de descontos nos produtos em sites e algumas lojas físicas também participam da promoção. E para o consumidor ficar atento, o Procon Natal elenca algumas dicas para não gerar uma futura dor de cabeça.

A comercialização de produtos e serviços em loja física ou online deve seguir as determinações do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Nas compras pela internet o consumidor tem o prazo de sete dias, do recebimento da mercadoria, para o arrependimento, ou seja, pode cancelar o negócio, sem que qualquer valor lhe seja cobrado.

Se o produto for entregue com defeito, o estabelecimento tem 30 dias para solucionar o problema. Caso contrário, o consumidor pode escolher entre receber uma mercadoria nova ou receber seu dinheiro de volta.

Verificar os preços cobrados antes do dia marcado para o evento. Isso pode ser feito por meio dos sites das empresas que participarão da Black Friday e de outros fornecedores, inclusive na data da liquidação. Assim, evita-se o risco de cair na armadilha de promoções que não são tão vantajosas como o anunciado;

É importante ler a política de privacidade da loja virtual para saber quais compromissos ela assume quanto ao armazenamento e manipulação de seus dados;

Observe a descrição do produto, compare-o com outras marcas e certifique-se de que ele supre suas necessidades;

Imprima e/ou salve todos os documentos (telas) que demonstrem a compra e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios, etc.).

Procure no site a identificação da loja (razão social, CNPJ, endereço e canais de contato). Caso ocorra algum problema, localizar a empresa será fundamental para a solução. Se o fornecedor não possuir essas informações, escolha outro;

Evite sites que exibe como forma de contato apenas um telefone celular;

Prefira fornecedores recomendados por amigos ou familiares;

Instale programas de antivírus e o firewall (sistema que impede a transmissão e/ou recepção de acessos nocivos ou não autorizados) e os mantenha atualizados em seu computador;

Muita atenção ao realizar transações online em lan houses, cybercafés ou computadores públicos, pois estes podem não estar adequadamente protegidos.

O Procon lembra ainda, que todo produto tem garantia legal de 30 dias para bens não duráveis e 90 dias para produtos duráveis como eletrodomésticos por exemplo, mesmo que o fornecedor diga que não há garantia alguma.

As pessoas que quiserem orientações sobre as compras virtuais e fazer reclamações poderão entrar em contato com o Procon Natal pelos telefones 3232-9050 ou se dirigir até a sede do órgão na rua Seridó, 355 no bairro de Petrópolis.

Hoje às 08:25

CCJ aprova cota de pelo menos 50% das cadeiras do Legislativo para mulheres

Projeto aprovado nesta quarta-feira (26) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) busca corrigir a subrepresentação feminina nas Casas Legislativas do país, reservando um percentual mínimo de 50% das cadeiras para preenchimento por mulheres. O PLS 295/2011- Complementar, da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), alcança a Câmara dos Deputados, as assembleias estaduais, a Câmara Distrital do Distrito Federal e as câmaras de vereadores.

Para corrigir a desigualdade entres os sexos na representação parlamentar, hoje a legislação define uma reserva mínima de 30% para candidaturas femininas. A medida já vem sendo aplicada aos partidos há quase 20 anos, mas não trouxe os resultados esperados. As mulheres ainda ocupam menos de 10% dos assentos, embora representem mais de 52% do eleitorado nacional, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral.

De acordo com Gleisi Hoffmann, dificilmente o equilíbrio político entre homens e mulheres será alcançado de forma natural. Por isso, ela defende a adoção de medida afirmativa no formato da reserva de cadeiras. A seu ver, a aprovação da proposta será um passo fundamental em direção “ao aperfeiçoamento da representação política feminina no Brasil”.

Na justificação, ela observa que nas eleições para a Câmara dos Deputados, em 2010, foram eleitas apenas 45 mulheres, o que representou menos de 9% da composição da Casa. Gleisi Hoffmann cita ainda que, numa escala decrescente de participação feminina em câmaras de deputados, em 2011 o Brasil ocupou a 108ª posição entre 188 países, conforme dados da instituição Inter-Parliamentary Union.

A proposta passará pelo Plenário, para votação final. Se aprovada, seguirá para análise na Câmara dos Deputados.

Hoje às 08:15

Google lança novos serviços em Cuba e pede fim de embargo à ilha

O Google encontrou um novo mercado para se expandir, que pode deixar o governo americano um pouco ressabiado. A empresa começou a ofrecer parte dos seus serviços para Cuba, mais especificamente o Google Play e o Google Analytics. Há alguns meses também já havia sido lançado o Chrome na região.

A companhia, no entanto, ainda respeita o tradicional embargo americano ao país socialista, que veta qualquer tipo de exportação. Devido a isso, o Google oferece apenas os aplicativos gratuitos da Play Store e somente a alternativa grátis do Analytics.

Não há números oficiais de quantos usuários do Android existem no país, mas Eric Schmidt, um dos principais executivos do Google, relata que há uma pequena comunidade técnica em torno do Android livre no país e a expectativa é que ela aumente. Os desenvolvedores que quiserem lançar seus apps gratuitamente no local já podem fazê-lo por meio das vias oficiais do Google Play.

Contudo, ainda parece muito estranho lançar os serviços em um país onde é impossível monetizá-los, mas o Google tem feito isso em vários países com regimes restritivos ao redor do mundo, como a chegada do Google Earth, Picasa e Chrome no Irã e na Síria. Além disso, Schmidt já visitou várias vezes a Coreia do Norte para conversar sobre uma possível expansão.

Em junho, Eric Schmidit publicou em seu perfil no Google+ um manifesto favorável à abertura da internet na ilha cubana e aos esforços de empresas americanas e até mesmo o próprio governo de incentivar a chegada de produtos e serviços que encorajem a liberdade de expressão.

Hoje às 08:12

Cantinas de escolas podem ser proibidas de oferecer alimentos não saudáveis

As escolas de educação básica, públicas e privadas, podem ser obrigadas a oferecer, em suas cantinas, apenas alimentos saudáveis, conforme critérios definidos pelas autoridades sanitárias. É o que determina substitutivo ao PLC 93/2010, aprovado nesta quarta-feira (26) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

O Cardápio oferecido nas escolas deverá ser elaborado por nutricionista. O texto também proíbe propaganda de alimentos não saudáveis nas dependências das escolas.

Os órgãos responsáveis pela fiscalização deverão publicar relatórios semestrais e a escola que descumprir as normas estará sujeita às penas previstas na Lei 6.437/1977, que vão de advertência ao fechamento da cantina escolar.

O texto fixa prazo de 180 dias após a publicação da nova lei para que as regras entrem em vigor.

A relatora na CCJ, senadora Ângela Portela (PT-RR), lembra que as regras deverão ser seguidas em todo o país e ajudarão a formar hábitos alimentares mais saudáveis, com impacto positivo na qualidade de vida da população.

No substitutivo que apresentou ao projeto, a relatora acatou emendas aprovadas na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e ofereceu ajustes de redação.

A matéria vai à Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) e depois à Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde terá decisão terminativa.

Hoje às 08:10

Postes flexíveis reduzem impacto de acidentes de trânsito

Estatísticas do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, conhecido como Seguro DPVAT, indicam que em 2013 foram indenizadas 54.800 mortes no trânsito brasileiro e 444 mil pessoas por invalidez. No total, as vitimas de acidentes no trânsito indenizadas somaram 630 mil e o número é crescente. No primeiro semestre de 2014, foram 340 mil indenizações, 14% a mais do que o registrado nos primeiros seis meses do ano passado.

Os choques com objetos fixos nas margens das vias, como postes de luz, placas de sinalização e guardrail respondem por 9% dos choques. O problema desses acidentes é que, mesmo em baixa velocidade, o potencial de lesões são graves e, os danos aos veículos, grandes. Afinal, geralmente são colisões contra objetos de concreto ou aço fixados ao solo.

Amenizar os efeitos desses impactos é uma preocupação global. Uma ação já adotada em vários países, inclusive no Brasil, é aumentar a segurança do viajante nos veículos, tornando obrigatório o uso de equipamentos de segurança, como os airbags.

Outra ação é voltada a desenvolver soluções capazes de tornar os objetos fixos ao redor das vias menos lesivos em caso de acidentes. Na Bélgica, um fabricante de postes de luz e de sinalização optou por inovar. Ele substituiu o aço tradicional por um outro de alta resistência, mas com características que tornam os postes flexíveis e capazes de absorver a força do impacto.

O aço de alta resistência permitiu a construção de postes de iluminação de 2 mm, uma redução de 50% na espessura. O peso dos postes também caiu em 50%, de 200 kg para 100 kg, o que representa um uso menor de materiais, diminuindo o impacto ambiental da produção e instalação dos postes.

Hoje às 08:06

Publicada lei que garante detecção precoce do câncer de próstata pelo SUS

Foi publicada hoje (26) no Diário Oficial da União a Lei 13.045, que garante a detecção precoce do câncer de próstata pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Com a publicação, as unidades de saúde da rede pública são obrigadas a fazer exames de detecção precoce do câncer de próstata sempre que, a critério médico, o procedimento for considerado necessário.

A lei prevê a sensibilização de profissionais de saúde por meio da capacitação e da reciclagem em relação aos novos avanços nos campos da prevenção e da detecção precoce da doença.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) indicam que, no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre homens – seguido pelo câncer de pele não melanoma. Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total.

Ainda segundo o Inca, a doença é considerada um câncer da terceira idade, já que aproximadamente três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Na fase inicial, a evolução é silenciosa.  Muitos pacientes não apresentam sintomas ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite). Já na fase avançada, o câncer de próstata pode provocar dor óssea, sintomas urinários, infecção generalizada e insuficiência renal.

A estimativa é que, neste ano, 68.800 novos casos de câncer de próstata sejam registrados no Brasil.

Hoje às 08:04

Coordenadora do Proteste alerta sobre riscos de megapromoção na internet

Sexta-feira (28) é dia de megapromoção de produtos vendidos pela internet. Inspirado na Black Friday, tradicional dia de liquidação nos Estados Unidos, que acontece todos os anos na primeira sexta-feira depois do dia de Ação de Graças, a data, no Brasil, tem dado muita dor de cabeça aos consumidores. No quadro Tribuna do Consumidor, da Rádio Senado, a coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), Maria Inês Dolci, dá dicas de como evitar que a data se transforme em uma “black fraude”.

Hoje às 08:01

'Google da China', Baidu vai lançar uma bicicleta inteligente

Muitas vezes rotulado como "Google da China", o Baidu segue um caminho de inovação que, assim como faz a empresa norte-americana, destoa do negócio principal de buscas. Uma das decorrências desse movimento foi apresentada nesta semana, quando a empresa anunciou que lançará uma biclicleta inteligente.

Chamada Dubike, ela tem vários recursos tecnológicos e um design pensado em parceria com a Universidade de Tsinghua. A bicicleta é equipada com tecnologia elétrica regenerativa e vários truques fitness. Ela acompanha batimento cardíaco, quantidade e pressão das pedaladas e tem outros sensores, que conversam com um aplicativo para smartphone.

Essas informações são usadas para monitorar a saúde do usuário, encontrar as melhores direções para seu destino, localizar a bicicleta a distância, recomendar rotas ideais para ciclismo e programas de treinamento via redes sociais.

Graças à capacidade de converter energia cinética em elétrica, a Dubike dispensa a tomada para usar todos esses recursos e ainda pode carregar o smartphone de quem estiver pedalando. Mas não há informações sobre funções elétricas, ela deve ser uma bike totalmente movida à força humana.

Como ressalta o Engadget, ainda não foram divulgadas especificações técnicas como peso e medidas, tampouco o preço, data de lançamento e os mercados onde a Dubike será vendida.

Hoje às 07:56

Projeto que determina guarda compartilhada de filhos segue para Plenário

A guarda compartilhada deverá ser o instituto adotado para a custódia dos filhos de pais divorciados, ainda que não haja acordo entre eles para isso. É o que define o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 117/2013, aprovado nesta quarta-feira (26) pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS). A proposta segue em regime de urgência para análise do Plenário.

Segundo o autor da proposição, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), a redação atual do Código Civil vem induzindo os magistrados a decretar a guarda compartilhada apenas nos casos em que os pais mantenham boa relação após o fim do casamento, evitando o uso do instituto justamente quando ele seria mais necessário, nas situações de desacordo entre os ex-cônjuges. Com a mudança proposta, a não ser que um dos pais expresse o desejo de não obter a guarda ou que a justiça não considere um dos dois genitores aptos para exercer o poder familiar, a guarda compartilhada será obrigatória.

O projeto também especifica a necessidade de divisão equilibrada do tempo de convivência dos filhos com a mãe e o pai; possibilita a supervisão compartilhada dos interesses do filho; fixa multa para o estabelecimento que se negar a dar informações a qualquer dos genitores sobre os filhos; dá preferência à oitiva das partes perante o juiz, em caso de necessidade de medida cautelar que envolva guarda dos filhos; e determina que ambos os pais participem do ato que autoriza a viagem dos filhos para o exterior ou para a mudança permanente de município.

Os parlamentares que integram a CAS comemoraram a aprovação do texto. Para a senadora Marta Suplicy (PT-SP), a alteração é salutar para elevar o papel do pai e tornar o poder sobre a criança equitativo, eliminando espaços para chantagens utilizando a criança para atingir um dos ex-cônjuges. Além disso, reforça o vínculo da figura paterna com os filhos. Segundo Marta, é muito “antigo” achar que só a mãe sabe cuidar da criança.

Lídice da Mata (PSB-BA) disse que o projeto é de grande relevância para a vida das crianças e, diferente do que a maioria pensa, as mães não querem o poder absoluto sobre a vida das crianças. Pelo contrário, observou, elas querem dividir o poder com os pais, para que estes exerçam a paternidade responsável. A aprovação da proposta viabiliza segurança, afeto e a referência de uma família moderna, opinou.

Os senadores Cyro Miranda (PSDB-GO) e Paulo Paim (PT-RS) também defenderam a proposta. Eduardo Suplicy (PT-SP) desistiu de pedir vistas e sugeriu à consultoria legislativa que se manifeste, caso haja alguma incongruência, antes de a proposta ser votada em Plenário. A senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO) lembrou ainda que o projeto foi amplamente debatido com especialistas do setor.

O presidente da CAS, senador Waldemir Moka (PMDB-MS), propôs o requerimento para análise da proposta em regime de urgência no Plenário. Segundo informou, o presidente do Senado, Renan Calheiros, lhe garantiu que, dentro do possível, o projeto poderá ser votado ainda nesta quarta-feira na Ordem do Dia.  Durante os debates na comissão, Moka fez um apelo aos senadores presentes à reunião para que não fosse apresentado pedido vista (tempo para análise) do projeto, já que, como ressaltou, o texto corresponde aos apelos da maioria dos atores sociais que defendem a aprovação da matéria.

Hoje às 07:54

Hospitais de SP usam garrafas PET em vasos sanitários para economizar água

A crise hídrica em São Paulo tem feito muitos consumidores adotarem ou intensificarem medidas criativas e sustentáveis para fugir do racionamento e contribuir para a diminuição do consumo de água no estado. Hospitais da capital paulista, por exemplo, têm recorrido à reformas da estrutura hidráulica, ao reaproveitamento da água produzida em aparelhos a vapor e até mesmo à instalação de garrafas PET em descargas para reduzir a vazão. Enquanto os paulistas se esforçam para economizar, o Sistema Cantareira, principal fonte de abastecimento da região, não dá sinais de recuperação. Hoje (26), o volume armazenado caiu pelo 12º dia seguido e ficou em 9,2%.

No Hospital Samaritano, foram instaladas garrafas PET preenchidas com pedras no interior das bacias sanitárias para diminuir a vazão. De acordo com a instituição, essa solução caseira, iniciada em abril, resulta em uma economia de 1,5 litros de água a cada descarga. Além disso, o hospital trocou tubulações antigas, chuveiros e vasos. No caso dos sanitários, optou-se pelo sistema dual flush (caixa sanitária com dois botões que permitem descargas com níveis diferentes de água) e a redução, de 9 para 6 litros, da caixa acoplada. Todas essas mudanças trouxeram, até outubro, uma economia de quase R$ 700 mil, segundo dados do hospital.

instalação de equipamentos mais modernos também foi uma das alternativas encontradas pelo Hospital do Coração (HCor) para economizar água. Foram instalados, por exemplo, redutores de vazão (pequenos anéis que controlam a saída de água) em torneiras e chuveiros. O gerente de engenharia hospitalar, Gleiner Ambrósio, destaca que isto é feito respeitando as normas técnicas. "Se reduzo a quantidade de água para lavagem de mão ou banho, o processo de limpeza pode se tornar precário. As vazões são mantidas dentro de um limite mínimo definido pela Associação Brasileira de Normas Técnicas", explicou.

Além de mudar equipamentos, o HCor reaproveita a condensação gerada pelos equipamentos de vapor, como as máquinas secadoras da lavanderia. Essa medida permitiu uma economia de água de 600 metros cúbicos por mês m3/mês), ou 600 mil litros. De acordo com Ambrósio, isso equivale a 600 caixas d'água. Outra solução que gerou redução de consumo foi a instalação de um sistema eletrônico de irrigação do jardim. "O hospital está economizando em torno de 3,5 mil m3/mês. Estamos deixando de captar da concessionária por reaproveitar", explicou o gerente de engenharia hospitalar.

Temporizadores e redutores de vazão também foram instalados no Hospital Alvorada. A medida, adotada em 2011, reduziu em 30% o consumo de água. No contexto de crise hídrica, novas soluções foram encontradas. Uma delas foi aumentar a temperatura dos aquecedores de chuveiros para que a água esquente rapidamente, evitando o desperdício da água fria durante o banho. Desde abril deste ano, a instituição passou a fazer palestras sobre água, energia e reciclagem para conscientizar funcionários e público em geral sobre a importância de economizar. A campanha reduziu em 8% o consumo de água.

No Hospital São Camilo, a lavanderia, que já trata a água para reúso desde 2007, ampliou o horário de funcionamento da estação de tratamento. "Até agosto, era até as 15h. A partir de então, colocamos para trabalhar até as 19h. Aumentamos em quase quatro horas", apontou Maria Aparecida Mastroantonio, gerente do setor. Ela explica que o processo ocorre automaticamente com a colocação de produtos químicos no afluente, além da água passar por filtros e bactericidas, como o gás ozônio. "Tínhamos até agosto um reaproveitamento de 40%. Esse percentual aumentou para 60%. Em novembro, talvez a gente consiga um pouco mais", projetou.

Outra saída que está sendo adotada por consumidores comuns e também condomínios residenciais e comerciais é a instalação de cisternas para captação da água de chuva. O interesse por este produto na empresa EcoCasa, por exemplo, aumentou 375% entre janeiro e outubro, de acordo com o coordenador de marketing Hiago Vilar. Ele disse que as regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas são as áreas com maior procura no estado. Ele explica que um reservatório residencial custa entre R$ 6 mil a R$ 13 mil, dependendo do projeto, que pode variar de 5 a 10 mil litros de capacidade. "É possível reduzir até 50% do consumo de uma família", estimou.
Saiu na Info Online.

Hoje às 07:51

Congresso mantém todos os vetos

O Congresso manteve os 38 vetos da presidente Dilma Rousseff a projetos de lei, analisados nesta terça-feira (25). A decisão foi anunciada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, no início da sessão do Congresso desta quarta-feira (26).

A apuração foi encerrada na manhã de hoje. Foram apuradas  325 cédulas na Câmara dos Deputados e 42 cédulas no Senado Federal — a votação englobou os 314 dispositivos vetados em 38 projetos.

A votação dos vetos limpou a pauta e abriu caminho para a votação do PLN 36/2014, que flexibiliza a meta do superávit primário do governo federal deste ano na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2014.

Vetos mantidos
De acordo com Renan Calheiros, nenhum dos vetos alcançou a maioria absoluta exigida para a derrubada em cada uma das Casas, ou seja, pelo menos 257 deputados e 41 senadores. É o caso, por exemplo, do que rejeitou integralmente as novas regras para a criação de municípios (PLS 104/2014– Complementar). Originado no Senado e aprovado definitivamente em agosto, o projeto foi uma segunda tentativa de regular a matéria, após uma proposta anterior também ser vetada pela Presidência da República.

— Sessão difícil, quórum apertado, e de uma só vez o Congresso teve que apreciar 38 vetos que estavam acumulados. Tentamos reunir 13 vezes  para o Congresso para limpar a pauta e apreciar esses vetos, mas não foi possível antes. O Congresso decidiu pela manutenção de todos os 38 vetos — disse Renan.

Deputados e senadores também decidiram manter o veto total que sofreu o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 78/2014, que alterava a Lei 12.030/2009 para incluir os papiloscopistas entre os peritos oficiais.

Entre os vetos mantidos (veja a pauta completa), também está uma mudança feita pela presidente Dilma Rousseff ao projeto de Minirreforma Eleitoral (PLS 441/2012, transformado na Lei 12.891/2013. Ela vetou o parágrafo que proibia o uso de propaganda em bens particulares, como placas, cartazes, bandeiras, pinturas, cavaletes e bonecos. Com o veto, esse tipo de propaganda foi utilizado nas últimas eleições.

Outro veto mantido é referente ao Projeto de Lei da Câmara (PLC) 323/2009, que autoriza o Executivo a criar os conselhos regionais e federal de zootecnia. O projeto foi vetado integralmente pela Presidência sob a alegação de inconstitucionalidade e vício de iniciativa, já que a proposta para criação de conselhos e federações deve partir do Poder Executivo.

O Congresso também decidiu pela manutenção do veto ao PLC 105/2012, que determina que a cada cinco anos os motoristas devem receber treinamento especializado e reciclagem em cursos específicos de condução de veículos de emergência. Os cursos seriam custeados pelo empregador. O projeto também previa seguro para cobertura de riscos inerentes à atividade. A Presidência impôs veto total ao projeto por crer que a proposta estabelecia restrições excessivamente onerosas, sobretudo para pequenos municípios e empregadores.

Hoje às 07:49

Senado aprova prioridade para o uso de armas não letais em ação policial

Gás lacrimogêneo, balas e cassetete de borracha, spray de pimenta e arma de eletrochoque, também conhecida como taser, terão prioridade na ação policial. É o que determina matéria aprovada pelo Plenário do Senado na tarde desta quarta-feira (26). Pelo substitutivo ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 256/2005, o uso de armas não letais poderá ter prioridade sobre as armas de fogo na ação policial – desde que essa opção não coloque em risco a vida dos policiais. Agora, a matéria segue para sanção.

O projeto, do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), já havia sido aprovado quarta-feira passada (19) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). De acordo com o texto, armas não letais têm baixa probabilidade de causar mortes ou lesões permanentes e são projetadas para conter, debilitar ou incapacitar pessoas temporariamente. O projeto também proíbe o uso de armas de fogo nos casos de abordagem contra pessoa em fuga que esteja desarmada ou contra veículo que desrespeite bloqueio policial, desde que o uso do armamento de menor poder ofensivo não coloque em risco a vida do agente de segurança ou de terceiros.

Para o presidente do Senado, Renan Calheiros, a matéria é da maior importância para a realidade do país. O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) lembrou que a arma letal só pode ser usada em determinadas condições e sob parâmetros legais. Segundo ele, a prioridade da arma não letal pode significar a preservação de vidas.

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA), porém, manifestou preocupação com o uso de armas de choque e spray de pimenta nas manifestações populares. Para ela, esses instrumentos ainda podem ser considerados violentos e têm causado danos a manifestantes. Em resposta, Crivella explicou que o uso desse tipo de armamento deve obedecer a princípios de legalidade, razoabilidade e proporcionalidade.

— O que o projeto cuida é exatamente de disciplinar para que não haja nenhum abuso contra os manifestantes — disse o senador.

Crivella recordou que o projeto vem sendo debatido há nove anos no Congresso. Ele destacou o crescimento da violência na ação policial, resultando em grande número de mortes, em especial de jovens. Para reduzir as ocorrências e manter a integridade física de pessoas em abordagens policiais, a sugestão é disciplinar o uso da força pelos agentes de segurança, com prioridade para armas não letais. O objetivo, segundo o senador é adequar o uso da força por parte do poder público para reduzir as ocorrências graves e preservar fisicamente as pessoas envolvidas.

Ontem às 08:12

Ação da Pecado Capital aponta pagamento de propinas à cúpula do Inmetro

Auditor-chefe e diretor administrativo-financeiro teriam recebido propina e até mesmo uma lancha para fechar os olhos às irregularidades cometidas no Ipem/RN
 
Uma nova denúncia do Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) revela o pagamento de propina a integrantes da cúpula do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro), durante a gestão de Rychardson de Macedo à frente do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem/RN), entre 2007 e 2010. De acordo com as investigações, dois integrantes da direção do Inmetro recebiam benefícios e, em troca, permitiam a continuidade do esquema montado no RN com participação do deputado Gilson Moura e dos advogados Lauro Maia e Fernando Caldas Filho.
 
Foram denunciados o diretor administrativo-financeiro do Inmetro, Antônio Carlos Godinho Fonseca, e o auditor-chefe do instituto, José Autran Teles Macieira (afastado do cargo preventivamente, por conta de procedimento disciplinar da Controladoria Geral da União). De acordo com a denúncia, as propinas foram pagas por Rychardson de Macedo (que também é réu) para viabilizar o recebimento de maior quantidade de recursos federais, por meio de convênio, e evitar consequências desfavoráveis decorrentes das auditorias.
 
Além da denúncia, o MPF apresentou uma ação de improbidade relativa às mesmas irregularidades. Ambas são assinadas pelo procurador da República Rodrigo Telles e apontam a prática de corrupção passiva, ativa e enriquecimento ilícito.
 
Repasses - De acordo com os convênios assinados pelo Ipem/RN com o Inmetro, o instituto nacional deveria transferir ao estadual 85% da receita arrecadada no Rio Grande do Norte com multas e outras taxas pagas por infratores. No entanto, em razão do acordo entre Rychardson de Macedo e Antônio Carlos Godinho, o Inmetro acabou transferindo um percentual bem maior.
 
Auditorias apontam que, em 2007, foi repassado ao Ipem/RN mais de 100% do valor arrecadado, enquanto em 2008 repassou-se 97%. Em 2010, durante os meses da gestão de Rychardson de Macedo, voltou a ser extrapolado o limite, ultrapassando os 100%.
 
Rychardson estabeleceu relação estreita com Antônio Godinho, ao ponto de tratá-lo pelo apelido de “Toninho”. Em seu depoimento, o ex-diretor do Ipem explicou: “O Ipem não tem verba própria, não recebe nada do Estado. (…) Se ele arrecadar por mês trezentos mil reais, teoricamente era pra descontar 15% do Inmetro (...). No meu caso não, sempre vinha a mais, porque, tipo assim, eu me relacionava muito bem com Toninho, que era o financeiro. Ele sempre mandava a mais.”
 
Diversas irregularidades cometidas no âmbito do Ipem/RN foram constatadas pelas auditorias do Inmetro, contudo a autarquia federal nunca tomou nenhuma providência efetiva em relação ao “quadro caótico e descontrolado da autarquia estadual”. Antônio Carlos Godinho não acatou recomendações para efetuar uma intervenção no Ipem/RN, nem mesmo de promover uma tomada de contas especial, para apurar responsabilidades.
 
“Não se tem notícia nem sequer da exigência por parte do Inmetro de que o Ipem/RN prestasse contas da aplicação dos recursos recebidos”, ressalta a denúncia do MPF. Rychardson de Macedo contava com o apoio de Antônio Godinho para impedir a instauração de tomadas de contas especiais: “Quando às vezes a auditoria detectava, aí ele entrava em contato com Autran: 'Autran, vamos segurar aí'. Porque ele não sabia que eu dava dinheiro a Autran também.”
 
Auditorias - Rychardson de Macedo também estabeleceu vínculo próximo com o auditor-chefe do Inmetro, José Autran. Em virtude de combinação entre ambos, a autarquia federal acatava as justificativas apresentadas pelo Ipem/RN, relativas aos indícios de irregularidades.
 
O Ministério Público Federal destaca que, se tais indícios fossem devidamente apurados desde o início, poderia ter se evitado ou pelo menos inibido as práticas ilícitas promovidas ao longo da gestão de Rychardson, ou ao menos reduzido o prejuízo causado aos cofres públicos. “No entanto (…) o Inmetro, por meio de seu auditor-chefe, permaneceu inerte e foi complacente”.
 
Irregularidades no pagamento de diárias, contratação de “funcionários fantasmas”, impropriedades em licitação e contratos, além de favorecimento a empresas, foram constatadas pelas auditorias, mas acabaram não resultando em providências concretas, por parte do Inmetro. Os auditores apontaram várias vezes as mesmas irregularidades e recomendaram reiteradamente a abertura de tomadas de contas especiais, sem que o auditor-chefe adotasse alguma atitude prática.
 
“Chegou-se a propor até mesmo a intervenção do Inmetro no Ipem/RN, de tão caótica que a situação ficou”, reforça o MPF, complementando: “O auditor-chefe do Inmetro (…) assistiu a tudo isso passivamente. Suas análises dos relatórios de auditoria sempre foram favoráveis ao Ipem/RN”. José Autran só determinou a realização de tomada de contas especial quando Rychardson de Macedo já havia deixado a direção do instituto no RN.
 
Propinas - Em abril de 2008, Rychardson de Macedo adquiriu uma lancha e “presenteou” Antônio Carlos Godinho. “Chamei ele pra fazer uma visita aqui em Natal. (…) Aí eu levei ele pros parrachos. Que eu tinha um barco lá, a gente deu uma volta, ele externou que tinha vontade de ter um barco. Aí eu disse: 'Não, vamos ver aí como é que a gente pode fazer, homem. Veja aí esse pacto que tá tendo do Ipem com o Inmetro, que arrecada esses quinze por cento. Mande um pouquinho a mais que aí eu vou procurar um barco aqui pra você e a gente se ajeita'. E assim foi feito. Eu arranjei um barco, comprei o barco por vinte mil reais, lá na marina”, relatou o ex-diretor do Ipem.
 
Rychardson de Macedo explicou ainda que o diretor do Inmetro costumava vir ao Rio Grande do Norte no verão: “(...) aqui eu alugava casa ali em Jacumã e ele sempre vinha, com ele, a namorada dele, uma vez veio com os filhos dele, os três filhos dele, e aqui eu custeava tudo, alugava carro pra ele, paguei as passagens dos filhos dele pra vir”.
 
As passagens para a namorada e filhos de Antônio Godinho foram adquiridas através do contrato do Ipem com a empresa Helo Turismo Ltda.. Foram compradas passagens de ida e volta de Goiânia e Rio de Janeiro, em nome dos filhos do auditor e de sua namorada. Rychardson declarou ainda ter pago hospedagem a eles em um hotel da capital, além do aluguel da casa em Jacumã.
 
Depósitos - José Autran exerceu o cargo de auditor-chefe do Inmetro até setembro deste ano, quando foi afastado preventivamente em procedimento administrativo disciplinar da Controladoria Geral da União. As buscas promovidas na Operação Pecado Capital resultaram na descoberta, na casa de um ex-diretor do Inmetro, de comprovantes de depósito na conta de José Autran nos valores de R$ 4 mil e R$ 3 mil, datados de abril e maio de 2006, anteriores à gestão de Rychardson.
 
A “fama” do auditor-chefe do Inmetro chegou a Rychardson de Macedo: “Eu ouvi falar que a gestão anterior pagava a José Autran, justamente pra poder resolver o resultado da auditoria. Não só na gestão anterior, como nas reuniões das redes. O que é a reunião das redes? Com todos os diretores... se comentava que grande parte pagava a ele, quando as auditorias iam. E aconteceu comigo. (…).”
 
Sobre o primeiro contato com o auditor-chefe, o ex-diretor do Ipem afirmou: “Ele disse: 'Traga uns dez mil aí que eu ajeito aqui o relatório'. Aí eu disse: 'Tá bom'. Aí como eu tinha a conta que Aécio tinha dele anterior, que Aécio me mostrou, disse: 'Esse Autran é um bandido, recebe...'. Eu disse: 'Me dê a conta aí. Eu vou meter pelo menos uns cinco mil aqui pra ele ficar na minha mão'.”
 
Quando ocorriam as auditorias, Rychardson era notificado e ia entregar em mãos a resposta sobre os questionamentos, aproveitando para realizar o pagamento da propina. “(...) ele cobrava uns sete, oito mil. Eu dava uma média que eu já tinha uma noção de quanto os outros davam”.
 
A quebra do sigilo bancário de Autran permitiu identificar depósitos que, no entender do MPF, são frutos de propinas. “Observa-se que o auditor-chefe do Inmetro (…) de fato recebeu vantagens pecuniárias para ser conivente com o esquema de desvio de recursos públicos do IPEM/RN. Ele foi favorecido com depósitos em dinheiro em conta bancária em março de 2008 e com várias entregas de dinheiro em espécie nos meses subsequentes do ano de 2008 e no ano de 2009.”
 
Prejuízo – O dano total aos cofres públicos, em decorrência das irregularidades, foi estimado em R$ 10.501.238,62, em valores não atualizados. Os envolvidos responderão por corrupção ativa e passiva, além de repartirem o ressarcimento dos danos. Em decorrência do acordo de colaboração premiada, o MPF requer o perdão judicial para Rychardson de Macedo

Ontem às 08:08

Presidente Marcelo Queiroz entrega alimentos arrecadados na Meia Maratona Sesc

O presidente do Sistema Fecomércio, Marcelo Fernandes de Queiroz, fez a entrega, na tarde desta segunda-feira, 24.11, no Hospital Psiquiátrico Severino Lopes, de 571 quilos de alimentos arrecadados na 2ª Meia Maratona Sesc de Revezamento, realizada no último dia 08.11. A instituição recebe doações sistemáticas do programa Mesa Brasil Sesc. Também participaram da entrega a diretora regional do Sesc, Jeane Amaral; a diretora de Programas Sociais do Sesc, Ilsa Galvão; além de funcionários do Mesa Brasil e do Hospital.

A entrega dos alimentos foi feita ao diretor-presidente do Hospital, Carlos Fernandes Lopes. Durante a solenidade, ele fez questão de frisar a importância dos alimentos doados pelo Sistema Fecomércio através do Mesa Brasil, e disse que "a dificuldade para manter o hospital funcionando é grande. E para que a gente sobreviva, é necessário que instituições como o Sistema Fecomércio, como o Sesc, nos ajudem".

"Com essa ação, nós que fazemos o Sistema Fecomércio, marcamos um importante gesto no campo da responsabilidade social empresarial. Esses alimentos terão o melhor dos aproveitamentos no reforço da alimentação das pessoas que aqui se acham acolhidas", disse Queiroz.

Ontem às 08:04

Regiões metropolitanas avançam no desenvolvimento humano e reduzem disparidades

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a Fundação João Pinheiro e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançaram o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras. Parte da série Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, ele é composto por um site (www.atlasbrasil.org.br) e por uma publicação.

Entre 2000 e 2010, as 16 Regiões Metropolitanas (RMs) pesquisadas registraram avanços no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e em todos os outros 200 indicadores socioeconômicos levantados. Atualmente, todas as regiões metropolitanas pesquisadas se encontram na faixa de Alto Desenvolvimento Humano, com IDHM acima de 0,700. São elas: Belém, Belo Horizonte, Cuiabá, Curitiba, Distrito Federal, Fortaleza, Goiânia, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luis, São Paulo e Vitória.

Mesmo com o avanço generalizado, o ritmo de crescimento entre elas não foi o mesmo. As RMs que possuíam os menores indicadores tiveram um ritmo de crescimento mais acelerado do que as que já estavam em patamares mais altos de desenvolvimento humano, o que contribuiu para a redução do hiato entre elas.

Entre 2000 e 2010, a diferença entre a RM de IDHM mais elevado (São Paulo) e a RM de IDHM mais baixo (Manaus) caiu de 22,1% para 10,3%. Em termos de IDHM, portanto, as regiões metropolitanas estão menos desiguais em 2010 do que estavam em 2000.

Apesar da reconhecida melhora e da redução das disparidades, a desigualdade dentro dos municípios ainda é um fator marcante. Em casos extremos, na mesma região metropolitana há Unidades de Desenvolvimento Humano (UDHs) – áreas menores que bairros nos territórios mais populosos e heterogêneos, mas iguais a municípios inteiros quando estes têm população insuficiente para desagregações estatísticas – com renda domiciliar per capita mensal de quase R$ 7,9 mil, enquanto em outras UDHs esse valor não chega a R$ 170, uma diferença de 45 vezes entre a UDH mais abastada e a mais carente.

A esperança de vida ao nascer varia, em média, 12 anos dentro das RMs. Se consideradas todas as mais de 9 mil UDHs pesquisadas, das 16 RMs analisadas, o melhor dado corresponde a 82 anos, enquanto o mais baixo é de 67 anos. São 15 anos de diferença em termos de expectativa de vida ao nascer.

Apesar de a dimensão educação ter sido a que mais avançou, em comparação com longevidade e renda, as disparidades também se repetem aqui, como no caso da escolaridade da população adulta. Nas UDHs com melhor desempenho entre todas as 16 regiões metropolitanas, o percentual de pessoas de 18 anos ou mais de idade com ensino fundamental completo varia de 91% a 96%. Já nas UDHs com pior desempenho, a variação fica entre 21% e 37%.

As desigualdades em cada região metropolitana são, muitas vezes, mascaradas pelas médias, dando a falsa impressão de que os municípios são homogêneos. A partir da análise dos dados é possível concluir que mesmo nas regiões metropolitanas mais carentes, como Manaus e Belém, há “bolsões” com muito alto desenvolvimento humano. O mesmo vale para as RMs com maior IDHM, como São Paulo e a RIDE do Distrito Federal, por exemplo, em que há várias UDHs com baixos níveis de renda e educação.

Troca de posições entre os mais altos
A diferença no ritmo de evolução do IDHM nas regiões metropolitanas acarretou uma troca nas primeiras posições. Em comparação ao ano 2000, as Regiões Metropolitanas do Rio de Janeiro e de Porto Alegre deixaram de figurar entre as cinco com maior Índice de Desenvolvimento Humano. Com um ritmo de crescimento mais acelerado, entraram em seus lugares a RIDE do Distrito Federal a Região Metropolitana da Grande Vitória.

Em situação oposta estão as Regiões Metropolitanas de Recife, Natal, Fortaleza, Belém e, em último lugar, Manaus, que apresenta o menor IDHM entre as Regiões Metropolitanas pesquisadas.

Ontem às 07:58

Minuto de celular do Brasil está entre os mais caros do mundo, diz UIT

O Brasil é um dos países com maior custo por minuto de ligações de celulares, mostrou um levantamento da União Internacional de Telecomunicações (UIT), cuja metodologia foi questionada nesta segunda-feira (24) pelo sindicato que reúne as operadoras do país, o Sinditelebrasil.

O levantamento da UIT -- que analisa 166 países -- afirma que o custo do minuto para ligações de celular em horário de pico e dentro da rede da mesma operadora no Brasil é de US$ 0,53 por minuto, acima da maior parte dos países analisados, com exceção de França e Grécia (US$ 0,54), Irlanda (US$ 0,60) e Suíça (US$ 0,65). Os números são de 2013. Fora da rede, ou seja, nas ligações para outras operadoras, os preços adotados no Brasil são mais altos, ficando em US$ 0,55. O país, nesse caso, fica atrás apenas de Irlanda (US$ 0,60) e Suíça (US$ 0,65).
Segundo o Sinditelebrasil, no entanto, a pesquisa está distorcida, por considerar apenas o preço-teto do minuto da telefonia móvel homologado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). De acordo com o sindicato, o preço médio por minuto do celular no Brasil é de cerca de US$ 0,07.

O diretor-executivo do Sinditelebrasil, Eduardo Levy, explicou que as empresas informam preços-teto para a Anatel homologar, que não podem ser ultrapassados. "Para não ter risco de ficar acima do valor da Anatel, as operadoras colocam (os preços-teto) bem altos e praticam promoções", disse. Levy citou relatório da Anatel segundo o qual o valor médio do minuto homologado no terceiro trimestre de 2013 variava entre R$ 1,20 e R$ 1,40, sem tributos, e que, na prática, com descontos e promoções, o preço médio era de R$ 0,15 por minuto.

Em comunicado, o sindicato informou que o preço médio do minuto do celular no Brasil representa 13% do preço apontado pela UIT, órgão ligado às Nações Unidas. As informações do sindicato são baseadas em estudo da consultoria Teleco. Já a Anatel informou que segundo seus cálculos o preço do minuto da telefonia móvel no segundo trimestre de 2014 no Brasil -- incluindo planos pré e pós-pagos --  foi de R$ 0,16, ou cerca de US$ 0,06m tomando como base a cotação desta segunda-feira.

Banda larga
Por outro lado, o preço médio da assinatura residencial mensal da banda larga fixa no Brasil está entre os mais baratos, em US$ 13,82 por 1 Mbit/s (megabit por segundo), de acordo com a UIT.

Na China, a assinatura mensal pela mesma velocidade sai em média por US$ 19,37, e na Colômbia, por US$ 19,80. Apesar disso, há países que oferecem velocidades bem maiores a preços mais baixos. É o caso da Rússia, onde a assinatura mensal de Internet de 5 Mbit/s sai por US$ 6,28, em média. Já em Cingapura, a banda larga fixa de 25 Mbit/s sai por um valor médio de US$ 19,90, segundo a UIT.
Saiu na Reuters.

Ontem às 07:53

Pesquisa encontra 33 mil animais silvestres sendo vendidos ilegalmente na web

Mais de 33 mil animais silvestres e itens extraídos deles são ilegalmente vendidos na internet em transações de até 28 milhões de reais, em um mercado que movimenta 48 bilhões de reais por ano.

Essas informações foram divulgadas na terça-feira (25), em um relatório do Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal que analisou sites de 16 países durante um período de seis semanas deste ano.

Foram encontradas quase 10 000 ofertas, muitas delas de espécies ameaçadas de extinção, em 280 sites diferentes. China, Alemanha e França foram os países com mais ofertas de animais silvestres cuja comercialização é proibida ou de itens extraídos deles, como couro e marfim.

Grande parte das espécies ainda vivas era oferecida na Rússia e na Ucrânia: orangotangos e chimpanzés eram vendidos por mais de 100 mil reais, além de tigres, leopardos, jaguares e gorilas.

Outro item de comercialização controlada, o marfim extraído das presas de elefantes também era facilmente encontrado nos sites: 80% das ofertas das páginas chinesas, por exemplo, eram do material. Traficantes cobravam até 150 mil reais por esculturas feitas com o material.

Depois do marfim, os répteis foram os produtos mais encontrados nos sites ilegais de vendas de animais silvestres. Tartarugas e lagartos totalizaram 70% das ofertas dos sites alemães, por exemplo.

A recomendação principal do Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal para os governos é a criação de uma delegacia virtual de crimes contra espécies silvestres, assim como já existem delegacias de crimes virtuais.

O tráfico de animais silvestres é um mercado que movimenta 19 bilhões de dólares anuais, tornando-o o quarto negócio ilegal mais lucrativo, atrás apenas do tráfico de trogas, pirataria e tráfico de pessoas.
Saiu na Info Online.

Ontem às 07:51

Aplicativo para chamar táxi conquista aporte de US$ 12 milhões

O aplicativo que conecta passageiros e taxistas Flywheel conquistou um aporte de US$ 12 milhões. A startup foi fundada em 2010, com o nome Cabulous, e hoje tem operações na Califórnia, Washington, Flórida e Oklahoma – todos estados americanos.

O app funciona de forma bem similar à dos seus concorrentes. O usuário chama o táxi, paga a corrida pelo próprio aplicativo e avalia o motorista. O que diferencia o Flywheel de outros aplicativos que conectam passageiros e motoristas, como Uber e Lyft, é a fidelidade do app aos taxistas licenciados. Segundo o CEO da startup, Rakesh Mathur, isso cria uma experiência melhor para o usuário, já que tais motoristas têm conhecimento confiável e se submetem a verificações regulares.